Ciência

A ciência interliga-se com o jornalismo na harmonia perfeita. Agora não é necessário recorrer a dicionários para descobrir o significado de um termo cientifico. O atum azul e o atum rabilho são fáceis de conhecer!


 A vida do atum (thunnus thynnus thynuus)

A espécie de atum conhecida pelo nome científico Thunnus thynnus thynnus é uma das maiores espécies de peixes ósseos do mundo, podendo atingir os três metros de comprimento e cerca de uma tonelada.

SONY DSC

Atum fêmea exposto no Museu da Ciência da Universidade de Coimbra.

A espécie de atum Thunnus thynnus thynnus mais conhecida por atum rabilho é um peixe de sangue quente, característica essa que lhe permite aventurar-se pelas zonas de águas mais frias do Atlântico em busca de presas. O atum rabilho consegue ainda retrair as suas barbatanas peitorais, e o seu corpo rígido canaliza a sua energia muscular diretamente para a  sua cauda, bastante eficiente.

Cardume de atuns.

Cardume de atuns.


Atum azul ou atum rabilho

O atum que se encontra exposto no Museu da Ciência de Coimbra foi capturado em Faro, no ano de 1894 e é uma fêmea. Este tipo de atum é muito conhecido pelo nome de atum-rabilo, sendo também o seu nome científico Thunnus thynnus thynnus. É caracterizado por ser um atum pelágico rápido (chega a atingir os 70km/h, em súbitos arranques), com bexiga-natatória, considerado cosmopolita e de águas temperadas.

O atum-rabilo pode atingir entre 300 a 300 cm de comprimento e pode chegar a pesar cerca de 680 kg, embora na Europa o maior peixe capturado pesasse apenas uns “meros” 415 kg.

Esta espécie de atum pode durar cerca de 20 anos, sendo considerada a espécie de atum de crescimento mais lento. Atinge a maturidade sexual por volta dos 4-5 anos de idade, altura em que atinge os 115-150 cm de comprimento e cerca de 200 kg de peso- com época de desova limitada a cerca de 3 meses, duas vezes por ano. Cada fêmea pode chegar a libertar até 6.000.000 óvulos em cada postura múltipla e o desenvolvimento larvar ocorre durante cerca de 28 dias.

A espécie Thunnus thynnus thynnus forma, regra geral, cardumes mono-específicos, ou associando-se com os bonitos e atuns-de-galha-à-ré, atuns patudos ou atuns-voadores. Embora façam a sua alimentação nas águas atlânticas mais setentrionais ( é um peixe rápido do Atlântico, principalmente ictiófago e cuja dieta também inclui crustáceos e cefalópodes, ou seja, lulas, polvos de profundidade e Nautilus, reproduzem-se em águas mais quentes, como as temperadas do Adriático, Mediterrâneo ou Golfo do México (Atlântico Oeste).

O atum é conhecido desde os tempos de Aristóteles, sendo ainda hoje um dos peixes de maior importância económica  a nível mundial, contudo, com uma representatividade reduzida a 1,5-3% no total da tonelagem capturada mundial em cada ano. É capturado com redes de cerco, derivantes, palangres, armadilhas fixas (práticas em desuso, ou extintas, no Algarve) ou com salto e vara (Açores). Tem sido uma das espécies a que a piscicultura tem recorrido, dado ao elevado valor comercial que a sua carne representa no mercado asiático, sobretudo no Japão, onde devido à sua excelente textura e alto teor de gordura é o ingrediente por excelência dos conhecidos pratos de sushi sashimi.

Esta espécie é maioritariamente pescado no Pacífico e Índico, enquanto que no Atlântico atinge um máximo de 25%.

                                                                                                              

thunnus_thynnus

Imagem ilustrativa; Fonte: http://www.peixes.info/peixe-atum.html

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s